Arquivo do Autor

O que a sua equipe precisa saber sobre os equipamentos de segurança eletrônica?

Postado por agenciacanna em 15/jul/2021 - Sem Comentários

Os equipamentos de segurança eletrônica já são bem conhecidos por gestores do varejo que entendem tanto seu funcionamento como a sua importância. Mas, em relação aos vendedores e a equipe operacional da sua loja, eles dominam 100% o manuseio dessas tecnologias? 

A verdade é que no dia a dia é muito comum que as funcionalidades básicas de segurança estejam sendo aplicadas, mas existem muitos procedimentos que devem ser executados diariamente para garantir uma melhor prevenção de perdas – tanto no PDV como no estoque.

Para ter máximo aproveitamento dos equipamentos de segurança eletrônica é fundamental que o seu time esteja por dentro das melhores práticas para conseguir incorporar as tarefas necessárias na rotina de trabalho.

Por onde começo a capacitar minha equipe?

Entender as funcionalidades básicas dos equipamentos de segurança eletrônica é o principal para dominar a interação que os funcionários precisam ter com cada um deles, e isso só é possível compreendendo o papel e funcionamento de cada um.

Os rótulos e etiquetas são monitorados pelas antenas antifurto posicionadas na porta de entrada da loja. Quando um produto passa por essas antenas sem ter sido pago, a tecnologia faz o papel de identificar e disparar o alarme para a equipe se atentar.

Logo, para que o alarme não soe, é importante que a etiqueta seja removida depois do produto ser pago. Esses separadores e desativadores estão geralmente disponíveis no ponto de vendas.

Dito isso, trazendo para a prática, é importante que a equipe da sua loja supervisione as etiquetas para ver se elas não estão apresentando nenhum problema e garanta também que novos produtos estão saindo do estoque e sendo disponibilizados no PDV com os equipamentos de segurança eletrônica bem colocados.

Outro fator de grande importância é comprar soluções de segurança de fornecedores que forneçam treinamento, atualização e suporte às equipes de loja, garantindo funcionalidade e otimização dos processos junto com a aquisição dos equipamentos. A Green pode te ajudar nesse sentido, pois o nosso portfólio de serviços e produtos é completo e projetado para atender as suas demandas de ponta a ponta.

Com o objetivo de tornar seu time mais engajado com o manuseio de EAS, separamos quatro pontos que sua equipe de varejo precisa se atentar periodicamente. Confira!

1- Checar diariamente o sistema de segurança

É muito comum que na rotina corriqueira os funcionários esqueçam de checar o funcionamento das antenas EAS. Por isso, é importante eleger uma rotina que tenha essa função antes da abertura da loja.

Dessa forma, o sistema já consegue captar a energia necessária para acender corretamente e ter funcionamento ao longo do dia.

2- Verificar se os separadores e desativadores estão conectados à tomada

Os separadores e desativadores têm o mesmo grau de importância que as antenas quando o assunto é segurança da sua loja. Afinal, um não funciona sem o outro, correto?

Portanto, garantir que esses equipamentos de segurança eletrônica estejam funcionando perfeitamente é importante.

Falando especificamente dos separadores de etiqueta, eles geralmente funcionam com imãs fortes e não precisam de uma fonte de alimentação elétrica. Porém, é importante que eles fiquem fixos no ponto de venda e sempre próximos de alguém da equipe, para evitar que qualquer um seja capaz de desativar etiquetas e sair com o produto sem pagar.

3- Reserve tempo para os produtos novos

A chegada de estoque novo na sua loja precisa ser sinônimo de incorporar etiquetas de segurança nos itens novos. Mais do que só fixar as etiquetas, é importante garantir que elas estejam na posição correta.

As etiquetas devem ser afixadas de um jeito que não interfira na experiência de compra do cliente, mas também que não sejam facilmente removidas.

Para alcançar esse nível de estratégia de segurança, algumas lojas costumam adotar políticas que contém a posição exata de onde as etiquetas devem ser posicionadas, prezando pela aparência e segurança – recomendamos que fiquem em uma região próxima ao código de barras, sem comprometer o espaço que contém as informações do produto.

4- Atenção aos alarmes

Os equipamentos de segurança eletrônica não devem ser ignorados em nenhuma circunstância, logo, a equipe deve ser orientada a ficar atenta ao disparo do alarme.

Se o alarme soar e não tiver um item sendo levado, isso indica que os produtos estão posicionados muito próximos da antena, e a partir disso duas ações podem ser tomadas: melhorar a distribuição de produtos no PDV ou ajustar a configuração de detecção do EAS.

Outro fato que pode estar levando o alarme a disparar são as poluições nas etiquetas. Esse termo é usado quando uma etiqueta não foi desativada corretamente, então mesmo o cliente realizando o pagamento, quando ele sai da loja com o produto, o alarme ainda soa.

E então, conseguiu bons insights sobre os equipamentos de segurança eletrônica? Conte com a Green para planejar e implementar as melhores estratégias para o seu projeto!

Nós somos especialistas em soluções de gestão e segurança para o varejo e o nosso amplo portfólio de produtos e serviços foi taticamente projetado para os vários desafios que podem surgir em um negócio. Converse com um de nossos consultores e entenda como podemos contribuir com a segurança da sua loja e otimizar os resultados do seu ponto de venda!

14 orientações essenciais para evitar furtos em lojas

Postado por agenciacanna em 08/jul/2021 - Sem Comentários

O trabalho de prevenção de perdas no varejo é diário e técnicas de como evitar furtos em lojas devem ser incorporadas à rotina das equipes de venda para conseguir reduzir esse problema.

Cada vez mais os furtos em lojas têm se tornado comuns, e pessoas mal-intencionadas adotam práticas mais inteligentes sempre. Por essa razão, a sua equipe de vendas deve estar preparada para identificar e tomar as medidas corretas.

Uma tendência que cresceu nos últimos anos é a fraude de devolução: itens roubados são devolvidos à loja e trocados por dinheiro ou vale-troca. Sofrer uma ação como essas impacta diretamente no seu lucro, mas é possível se prevenir.

De acordo com o IBEVAR (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo), o prejuízo com furtos e roubos em lojas no Brasil chega à casa dos bilhões de reais todos os anos, e por isso, é fundamental evitar esse mal no seu negócio.

A seguir, separamos 14 dicas de como evitar furtos em lojas para você começar a colocar em prática agora mesmo. Confira!

1-  Crie um plano de ação

Investir em um sistema de gestão do PDV ajuda nessa tarefa: a partir do sistema você é capaz de analisar dados históricos e ter um controle maior do seu estoque, logo, é possível:

  • organizar investimentos;
  • administrar recursos;
  • monitorar dados;
  • gerenciar entrada e saída de produtos da loja.

A partir disso, é possível identificar onde são os pontos que acontecem mais perdas e agir diretamente para fortalecer a segurança.

2- Identifique como os furtos estão acontecendo

Pessoas mal-intencionadas geralmente tentam ocultar mercadorias, rodam a loja várias vezes, ficam apreensivas, mas, o maior erro que qualquer lojista pode cometer é subestimar as oportunidades que os maliciosos podem encontrar.

Ficar atento a todos os locais da sua loja, especialmente àqueles em que os itens podem ser rapidamente escondidos e os que possuem grande fluxo de pessoas durante o funcionamento do seu varejo.

E atente-se: os locais mais utilizados para esconder produtos são dentro de roupas, bolsas, carrinhos e guarda-chuvas. 

3- Sinalize o ambiente

Investir em comunicação visual ajuda muito na experiência de compra do cliente, e isso é um fato, mas você sabia que sinalizar o ambiente sobre uso de câmera contribui para maior segurança? Além de passar ao cliente maior sensação de segurança, é uma forma de intimidar pessoas mal-intencionadas a repensar seus atos na loja. 

4- Elimine os pontos cegos

Ter o controle total e visão da sua loja é com certeza uma das respostas para a pergunta de “como evitar furtos em lojas”. Otimizar o layout, incluir espelhos em locais que estejam fora do campo de visão da equipe e contar com iluminação adequada em todo o PDV é fundamental para colocar isso em prática.

Dessa forma, além do time conseguir identificar atitudes suspeitas com facilidade, também é um jeito de intimidar pessoas com más intenções.

5- Posicione os checkouts de forma estratégica

No checkout acontecem muitos furtos ou roubos por sua vulnerabilidade, e por isso, esse espaço merece uma atenção especial, afinal, nas filas acontece muita pressão, o atendimento precisa ser ágil e muitas vezes, ações furtivas acontecem sem que o operador perceba.

Como evitar furtos em lojas na hora do checkout então?

Posicioná-los em locais estratégicos no fluxo de saída dos clientes é uma boa solução. Aliado a isso, é interessante trabalhar com um atendimento ágil, atento aos detalhes e soluções antifurto como as antenas desenvolvidas especialmente para essa área da loja.

6- Dê atenção a expositores altos

Muitos podem pensar que incluir produtos em expositores altos pode dificultar os furtos, mas a verdade é que isso também dificulta o monitoramento da equipe – já que fica além do seu campo de visão. Como alternativa, você pode optar por itens distribuídos ao longo de uma parede.

7- Utilize dispositivos de proteção eletrônica

Contar com tecnologia é uma das formas mais eficientes quando o assunto é evitar furtos em lojas. Os dispositivos de proteção eletrônica EAS são soluções recomendadas.

As antenas antifurto e etiquetas de segurança são ideais para todos os tipos de loja.

As etiquetas eletrônicas são aplicadas ao produto, posteriormente, quando o item é comprado, elas são removidas ou desativadas. Se isso não acontece, ou seja, a compra não foi realizada e o indivíduo está tentando retirar o produto da loja, ao passar pela antena um alarme sonoro é disparado e avisa a equipe de vendas.

8- Seja visto por seus clientes

Treinar a equipe de funcionários para estar sempre de prontidão e no campo de visão dos clientes é um jeito de passar segurança para os que foram fazer compras e intimidar pessoas mal-intencionadas.

Cumprimentar cada cliente quando eles entram na loja é um jeito simples de marcar presença e evitar a ação dos espertalhões.

9- Gerencie bem os horários da equipe

É importante gerenciar bem o horário da equipe de um jeito estratégico para que o PDV não fique desamparado. Planejar os horários de almoço intercalados para sempre ter pessoas o suficiente para manter o atendimento.

Além disso, é importante verificar os dados de pico na loja e evitar que os vendedores saiam para almoçar nesses horários. Lembre-se: quanto mais pessoas tem na loja, maiores são as chances de um furto acontecer.

10- Mantenha a loja organizada

Lojas organizadas e limpas facilitam o controle da equipe sobre o que tem ou o que está em falta. Além de proporcionar melhor experiência aos clientes de compra, também é um jeito de preservar a segurança no ambiente.

11- Tenha segurança extra para produtos de alto risco ou maior valor

Produtos mais caros precisam de atenção redobrada, pois além de trazerem um prejuízo maior se forem furtados, também costumam ser os mais atrativos para pessoas com más intenções. Colocá-los próximo da equipe, e investir em soluções eletrônicas de proteção ajudam a tornar a exposição mais segura.

No varejo, itens como cadeados eletrônicos, fechaduras de segurança para vitrines, bem como gancheiras magnéticas e eletrônicas fazem toda a diferença quando se trata produtos de alto risco. Vale lembrar que quanto maior é o valor do produto, maior deve ser o investimento em segurança.

12- Conquiste a fidelidade da equipe

Os furtos internos são problemas sérios que não podem ser ignorados, afinal, como evitar furtos em lojas só olhando para fora e não cuidar do ambiente interno, ou seja, dos seus próprios funcionários?

Criar um ambiente de trabalho que promova a lealdade dos seus funcionários é o melhor caminho para ter uma equipe trabalhando em harmonia. Para isso, é importante criar o “sentimento de dono” em cada um dos seus colaboradores.

Exiba as metas de maneira clara, tenha uma comunicação transparente e um ambiente de trabalho prazeroso para conquistar o seu time e não os afastar.

13- Faça uma boa gestão de estoque

Manter o controle do estoque é um jeito de evitar as perdas – internas e externas. Um sistema PDV, por exemplo, ajuda nessa tarefa, pois registra o que entra e o que sai do estoque.

14- Nunca deixe o balcão sem atendente

Já ouviu o ditado “a oportunidade faz o ladrão”? Pois bem! Deixar o balcão sem atendente pode ser uma brecha grave de segurança.

A maioria dos ladrões agem com base nas oportunidades, ou seja, nas brechas que os lojistas cometem, por isso, nunca deixar o balcão sem atendente é uma medida fundamental.

A prevenção é o melhor método para reduzir as perdas no varejo, por essa razão, criamos um material para te ajudar a escolher o melhor expositor para o seu varejo! Leia o nosso e-book sobre exposição de produtos no PDV com versatilidade, e entenda quais são os fatores que contribuem para evitar perdas por furtos, melhorando a experiência do consumidor.

Conte com a Green Retail Solutions em cada fase do seu projeto de otimização do PDV. Entre em contato com a nossa equipe e encontre as melhores soluções para o seu negócio!

5 maneiras de capacitar sua equipe de vendas no varejo

Postado por agenciacanna em 17/jun/2021 - Sem Comentários

Contar com uma equipe de vendas preparada para o varejo é algo extremamente importante. O vendedor não tem apenas o papel de persuasão, mas de ser um consultor para os clientes dentro da sua loja.

Mais do que nunca, a interação face a face é um grande diferencial quando uma pessoa opta por comprar na loja física no lugar de uma compra online. Nesse momento, os clientes querem entender mais sobre o produto, seu material, como funciona etc.

O mundo pós-covid, no entanto, apresenta desafios ainda maiores, pois é preciso que o vendedor se faça presente, e siga as medidas de segurança.

A equipe de vendas é a principal responsável por garantir uma experiência de compra prazerosa para o cliente na loja física, e por isso, investir em treinamentos é uma oportunidade para ficar à frente da concorrência.

Não é só o relacionamento do cliente que merece atenção quando falamos em capacitação do time de vendas. Por serem os profissionais que estão à frente de toda operação do seu varejo, é importante que alguns pontos sejam levantados, tais como: treinamentos de segurança e política antifurtos, implantação de um PDV Móvel (sistema de atendimento mobile para as equipes terem acesso ao pedido do cliente mais rapidamente), gerenciamento de estoque, capacidade de analisar resultados, entre outros.

Para ajudar, separamos cinco dicas de como capacitar sua equipe de vendas para você colocar em prática agora mesmo. Confira!

 1- Ofereça treinamentos

O atendimento ao cliente precisa de um vendedor que seja claro, conciso e que entenda do produto que está vendendo. Por essa razão, oferecer um treinamento que ofereça suporte é essencial.

Mais do que isso, é importante treinar e dar feedbacks para a equipe de vendas. 69% dos funcionários afirmam que trabalhariam mais se fossem mais apreciados. Isso demonstra que oferecer uma experiência boa de trabalho é o caminho para que o vendedor repasse o clima de engajamento para seus potenciais clientes e o resultado são vendas mais efetivas e aumento da carteira.

2- Investir em um PDV Móvel

O PDV Móvel é um excelente aliado do time de vendas por reunir em uma mesma interface as informações dos seus pontos de venda online. Trata-se de uma solução tecnológica que permite o atendimento mobile, oferecendo mais agilidade ao time de atendimento para entregar um produto com mais qualidade em menos tempo.

A tecnologia no varejo vem revolucionando a forma de comprar, mas principalmente de como vender. O PDV Móvel é um modelo mais econômico e ágil, que permite a geração de relatórios mais rapidamente para uma tomada de decisões mais eficiente.

Outra vantagem é economizar espaço dentro da sua loja, e ter menos desgaste com suporte técnico.

3- Análise de dados

Incentivar a equipe de vendas a ficar atenta aos números é uma maneira eficiente de garantir que os profissionais consigam desempenhar um feeling maior para conquistar vendas no futuro.

A partir de uma leitura de dados, é possível identificar sazonalidades históricas de algum produto específico, abordagens que deram certo, itens que estão em alta naquele momento, entre outros pontos de suma importância para ajudar na criação de planos de ação.

Isso além de ajudar sua empresa a vender mais, também apoia na identificação de possíveis gargalos operacionais, o quão ocupada uma loja está e quais produtos estão com pouco estoque.

4- Produtividade

Não há dúvidas de que o pós-pandemia vai contar com um número de pessoas interessadas em visitar as lojas físicas, seja para compra ou mesmo para conhecer os lançamentos e rever o estabelecimento. O time de vendas deve estar pronto para esses dois perfis.

Uma maneira de ajudar a equipe a ter maior produtividade e perder menos tempo com burocracias é fazer o rastreio de uma ferramenta RFID no estoque. Chaves inteligentes e dispositivos portáteis também são opções viáveis para garantir maior agilidade à equipe de vendas no atendimento ao cliente.

5- Segurança da loja

A prevenção de perdas no varejo é um tema em alta e que merece a devida atenção. Por mais que as vendas sejam o foco do time, é importante que ações de segurança sejam incorporadas à rotina, afinal, uma boa política para evitar furtos ou danos dos produtos ajuda a aumentar a lucratividade do seu negócio.

Para isso, a equipe de vendas pode contar com ferramentas de vigilância eletrônica como:

Dessa forma, o time consegue focar suas atividades em vender mais, mas contando com a tecnologia para ajudar a identificar pessoas mal-intencionadas no interior da sua loja.

Que tal começar agora mesmo a colocar a mão na massa e tirar essas ideias do papel para ajudar a sua equipe de vendas? A Green pode te ajudar, oferecendo tecnologias que ajudam da segurança até o PDV da sua loja. Entre em contato agora mesmo e conheça nossas soluções!

Qual é o caminho do comércio varejista após a pandemia?

Postado por agenciacanna em 10/jun/2021 - Sem Comentários

O cenário pós pandemia ainda é uma realidade muito abstrata para a população e para o comércio varejista. Algumas tendências alavancadas pela pandemia já começam a se tornar realidade – como o pagamento digital sem contato, flexibilidade de horário, delivery, entre outros.

Com o cenário se mostrando cada vez mais próximo de voltar ao “antigo normal”, com os números de pessoas vacinadas em uma crescente, as empresas começam a se movimentar e a investir. Um estudo recente da empresa de inteligência artificial Olvin, sobre Tendências e Previsões do Varejo para 2021, trouxe informações valiosas sobre o que esperar não só para 2021 como para os anos subsequentes.

O estudo traz um panorama da situação dos Estados Unidos e de como foi o ano de 2020 para o varejo americano, bem como as lições aprendidas para fazer de 2021 um ano mais lucrativo para as lojas. De acordo com a National Retail Federation, descrita no estudo da Olvin:

  • Existem mais de 1 milhão de comércios varejistas nos Estados Unidos
  • De 2010 até 2020, as vendas no varejo cresceram quase 4% ao ano
  • A cada loja fechada, 5 são abertas.

Tais números refletem uma realidade bastante otimista para o comércio varejista nos EUA, e que podemos esperar que se reflita no Brasil no futuro próximo.

Uma das grandes lições aprendidas pelos varejistas americanos foi justamente olhar o cenário de 2020 e os impactos da covid para pensar em ações de melhoria para o futuro. A seguir, iremos abordar alguns pontos percebidos e o que podemos esperar para o comércio varejista!

O impacto da covid-19 no varejo

Muitas empresas ainda não tinham um canal de venda online de seus produtos, e precisaram se adequar. Durante a pandemia, esses foram os segmentos que mais cresceram, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), em parceria com o Movimento Compre & Confie:

  • Saúde: 111%
  • Alimentos e bebidas: 110,8%
  • Petshop: 99,8%
  • Beleza e perfumaria: 83%

A criação de novos canais de venda no varejo valeu a pena. O número de brasileiros comprando pela primeira vez online também foi recorde. De acordo com a Ebit/Nielsen em parceria com o Bexs Banco, o e-commerce ganhou em 2020, 13 milhões de pessoas que nunca haviam feito compras pela internet.

Esse comportamento é algo que o comércio varejista precisa ficar atento, dessa forma atendendo tanto aqueles que pretendem voltar à rotina normal como os que ainda continuaram no home office.

Como preparar o comércio varejista para o pós-pandemia?

O relatório da Olvin separou quatro principais tendências que com certeza os lojistas devem estar preparados para o pós-pandemia.

Em um evento da Alshop que contou com a presença do empresário e sócio da EXM Partner, VP do Ibra e diretor do Ibajud, André Rocha, foram discutidas as questões que serão fundamentais para a retomada do comércio no pós-pandemia. Segundo o especialista: “os lojistas não podem limitar seu canal naquele espaço físico, tem que fazer delivery, venda direta, atingir a reunião onde estão e ir atrás do cliente, e o shopping é um dos canais”.

Isso mostra que o investimento nos canais vai ser mais do que fundamental, mas não é só isso. A seguir, confira dicas para começar a se preparar desde já!

1- Consumidor no centro das operações

Essa é uma tendência que já é realidade e deve continuar sendo fortalecida como um importante mindset para os varejistas. O que se espera é que mais do que nunca o relacionamento com o cliente seja decisivo, em um mercado saturado e bastante competitivo.

Para isso, investir em múltiplos canais, físicos e online, é uma boa pedida para estar onde o seu consumidor está e oferecer uma boa experiência de compra independente de onde ele estiver.

2- Omnichannel

O omnichannel já é uma tendência no varejo. Se antes bastava para uma marca estar em todos os canais, agora é necessário que ela esteja e que esses canais estejam integrados.

O Omnichannel é uma estratégia que visa oferecer uma experiência de qualidade para o consumidor em diferentes canais, oferecendo o mesmo preço. Muitas empresas já trabalham bem o multichannel, mas para ter uma operação verdadeiramente omnichannel é preciso ir além, investindo em tecnologia de integração e inovação para o mercado.

3- Ética

Se antes os clientes se contentavam apenas com a qualidade do produto, agora as coisas são bem diferentes. É importante para o consumidor entender o posicionamento da marca que está comprando, o histórico da empresa e ter a garantia de que os processos da mesma sejam seguidos com ética.

Na prática, isso significa que o rigor com o produto oferecido na sua loja deve estar seguindo altos padrões de qualidade e mesmo de sustentabilidade, atendendo as expectativas dos seus clientes. Ter uma proposta de valor clara, com missão, visão e valores da sua empresa bem expressas para o seu consumidor e equipe é uma forma de expor o posicionamento da sua empresa.

4- Gestão de gastos

Não há como negar que um dos impactos da covid-19 foi um grande recesso econômico. Por essa razão, o comércio varejista terá, não só que se preocupar em como vender mais, mas também em formas de economizar para manter um equilíbrio em seu negócio.

Por essa razão, um bom planejamento para uma melhor gestão de gastos é necessária. Para isso, adotar uma política de prevenção de perdas e investir em soluções tecnológicas para aumentar a segurança da sua loja é uma maneira de trabalhar isso de maneira prática.

5- Uso criativo do espaço

Para se diferenciar da concorrência e ainda garantir a presença de clientes na loja física, o comércio varejista precisa criar um espaço mais atrativo e acolhedor, que ofereça boas experiências para seus clientes. Investir em técnicas de merchandising serão tendências para os próximos anos.

Criar um design de revitalização pensando em uma melhor experiência do seu cliente, ou mesmo aplicar técnicas de retrofit (modernização de um equipamento ou edificação considerada ultrapassada ou fora de norma), que modernizam o espaço sem abrir mão do seu projeto arquitetônico inicial são opções viáveis para inovar no espaço.

Impressionado sobre como a pandemia impactou o comércio varejista? Se adequar aos novos meios de venda é a única solução. A boa notícia é que a Green está disponível com tecnologias para ajudar no design, varejo inteligente e segurança para ajudar o seu negócio. Para conhecer nossas ferramentas, entre em contato e solicite um orçamento!