Arquivo do Autor

Como o comportamento do consumidor está impulsionando a evolução do varejo?

Postado por agenciacanna em 23/dez/2021 - Sem Comentários

A pandemia do Coronavírus mudou hábitos de pessoas em todo o mundo. A adaptação ao distanciamento social e o uso de máscara são apenas alguns dos pontos principais, mas, para além das questões de segurança e saúde, muitas outras coisas são diferentes hoje e uma delas é o comportamento do consumidor.

O comportamento do consumidor é um estudo que busca analisar os hábitos de compra e as percepções que uma pessoa possui durante esse processo, levando em consideração uma série de fatores, como classe social, faixa etária e dados demográficos. Com essa análise, é possível entender o que o consumidor mais precisa, quais são as suas necessidades e outros fatores capazes de definir campanhas mais assertivas.

Levando em conta a pandemia, a forma como todos nós compramos foi modificada – e muito. A população aderiu às compras online como principal método de compra, abrindo mão das lojas físicas que antes eram muito procuradas por todos.

Então como o comportamento do consumidor está impulsionando a evolução do varejo? A facilidade entre integrar o varejo físico às formas de compra online e a própria mudança de comportamento são a resposta.

Apesar da adaptação necessária e do crescimento do número de compras online, a importância do varejo é incontestável. É por meios físicos que os consumidores se sentem mais seguros para realizar uma compra, além de poder procurar imediatamente um funcionário em caso de dúvidas sobre o produto ou serviço.

E é nesse setor que a Green é especialista, contando com diversos produtos e serviços relacionados ao varejo.

A adaptação do varejo ao comportamento do consumidor na pandemia

Adaptar-se ao comportamento do consumidor é uma tarefa indispensável, seja para o varejo ou para o e-commerce. Mas com a chegada da pandemia, os varejistas precisaram se adaptar à nova realidade global e aos novos hábitos de compra, o que demandou paciência e muita criatividade.

Sendo assim, a principal mudança no comportamento do consumidor foi a sua forma de consumir, que passou a ser, em boa parte. online. Abaixo, confira algumas das principais formas que os varejistas encontraram de adaptar o mercado ao novo comportamento.

Desenvolvimento de sites ou aplicativos oficiais capacitados das lojas varejistas

Muitas lojas físicas não tinham sites e aplicativos capacitados o suficiente para funcionar com um alto tráfego de pessoas. Por isso, o primeiro passo para muitos varejistas, principalmente os menores e médios, foi adaptar o site e app (ou criá-los do zero) para garantir que suas vendas continuassem.

Isso envolve tanto o suporte necessário para tráfego, como também o desenvolvimento de assistentes virtuais para ajudar, entre outras ferramentas importantes, durante a experiência de compra.

Do clique e retire ao drive-thru

O clique e retire já existia antes da pandemia do Coronavírus. O consumidor realiza a compra pelo site e opta por retirar em uma loja perto de si, o que torna a experiência de compra melhor, principalmente pela possibilidade de tirar quaisquer dúvidas com funcionários na hora de retirar o produto.

Já o drive-thru para lojas é um conceito razoavelmente novo e que ganhou muito destaque na pandemia. Assim como no clique e retire, o consumidor faz a compra pelo site e retira presencialmente, mas a diferença é que não há a necessidade de sair do próprio carro. Essa logística pode ser feita de diferentes formas e é uma maneira de o consumidor se sentir um pouco mais próximo da marca.

Compra experimental

A experiência de compra é um ponto-chave para o varejo e esse é, sem dúvidas, um dos principais diferenciais que as lojas físicas têm em relação ao e-commerce. Isso porque algumas experiências só podem ser feitas presencialmente e este é um fator que deve ser explorado (e muito!) pelos varejistas.

Os guide shops, por exemplo, podem ser uma forma de compra experimental, mas existem muitas outras maneiras de oferecer uma experiência única ao consumidor que prefere ir à loja, como interações com o produto ou serviço e até mesmo formas de experimentá-los, um diferencial importante principalmente para alguns segmentos.

Os resultados da adaptação ao comportamento do consumidor

O varejo já pode perceber alguns dos resultados pela sua adaptação às mudanças no comportamento do consumidor. Segundo a pesquisa feita com a parceria entre a Airship com a Sapio Research no site da Business Wire, quase dois terços dos consumidores pretendem usar aplicativos móveis de varejistas para realizar as compras de final de ano, combinando as experiências de compras físicas e digitais.

Além disso, mais da metade dos entrevistados estão dispostos a realizar experiências com seu smartphone durante as compras em lojas físicas, um índice bastante interessante para o varejo, que pode e deve apostar em compras experimentais.

 

As lojas físicas têm pessoas fiéis ao redor de todo o mundo e, sem dúvidas, o futuro do varejo está em misturar as experiências presenciais com o digital, que é a tendência observada no comportamento do consumidor, além de acompanhar as suas adaptações e mudanças.

Assim como as adaptações, a segurança e a tecnologia também estão intrínsecas à evolução do varejo e para contar com o que há de melhor nas duas áreas fale com a Green, uma empresa especializada na rede varejista, apostando em itens de segurança, como cadeados eletrônicos, além de conceitos e acessórios do varejo inteligente. Entre em contato e solicite uma proposta!

As vantagens e oportunidades dos guide shops

Postado por agenciacanna em 09/dez/2021 - Sem Comentários

Os guide shops têm ganhado a atenção de diferentes marcas, pois se tornaram uma busca recorrente por muitos compradores, algo que afeta diretamente o seu comportamento de consumo. Acompanhar essas mudanças no comportamento é fundamental para garantir que as marcas se adaptem aos novos hábitos de consumo do seu público.

Com a pandemia do Covid-19, muitos consumidores recorrem às compras online. Apesar disso, ações como ver o produto pessoalmente, sentir o tecido, tocar na peça e experimentá-la ainda são indispensáveis para o consumidor.

É neste cenário que os guide shops se tornam grandes aliados do varejo. Esta modalidade existe desde antes da pandemia, mas pode ganhar força com a nova realidade do varejo nacional e mundial.

Os guide shops são estabelecimentos físicos que contam com mostruário, sem estoque, para que o consumidor entre, prove, veja a peça e decida se quer comprá-la. A compra do produto é feita diretamente no site da marca, em estações digitais com acesso à internet presentes dentro do próprio local.

Além de um boy layout de loja, é importante pensar na segurança dos produtos expostos, mas fique tranquilo: com a Green, todo o mostruário fica seguro com a presença da etiqueta antifurto. Assim, não há a possibilidade de qualquer pessoa levar alguma peça consigo sem pagar.

Feita a compra, o consumidor pode receber o produto no conforto da sua casa em poucos dias, às vezes em poucas horas, garantindo a praticidade do processo. Mas em alguns casos, é possível retirar na própria loja, caso o cliente prefira.

A Green oferece diferentes tecnologias para manter o seu guide shop em segurança e trazer maior praticidade e eficiência para o dia a dia das marcas. De olho nas tendências, trouxemos as principais vantagens e oportunidades em aderir a esse conceito.

Quais os benefícios dos guide shops?

Como não poderia deixar de ser, os guide shops contam com muitas vantagens para qualquer marca. Confira as principais.

Diminuem os investimentos com estoque

Manter um estoque cheio demanda de muito investimento financeiro. Por isso, os guide shops são ótimos para reduzir qualquer custo em relação à reposição de produtos, além de não ser necessário expor itens em todas as suas cores.

Se houver alguma dúvida em relação às cores, por exemplo, o consumidor pode procurar os totens ou telas dentro do espaço e ver mais detalhes sobre o produto.

Minimizam as taxas de devolução e troca

Todos nós já compramos alguma peça de roupa online e ela não ficou exatamente como queríamos ou então não serviu corretamente. Através do guide shop, as taxas de devolução tendem a cair bastante, já que o consumidor consegue ver e experimentar o que ele quer comprar.

Assim, quando a compra é feita, a pessoa já sabe como a peça fica em si, o que a ajuda a realizar compras mais assertivas e, consequentemente, diminuir as devoluções e trocas.

Facilitam a escolha

Muitos fatores fazem com que o consumidor escolha uma peça. Com a ajuda dos guide shops, ele pode ver ao vivo como o produto é, se é do tamanho correto e se,  fisicamente, o produto é como ele imaginava, conseguindo satisfazer as suas próprias expectativas. E isso não é apenas para vestuário, vale também para qualquer outro tipo de produto, de eletrônicos à utilidades domésticas.

A possibilidade de ver o produto pessoalmente antes de comprá-lo facilita a escolha do que levar.

Quais os pontos de atenção dos guide shops?

Assim como tudo no mundo, os guide shops também têm pontos que podem não ser  favoráveis para alguns tipos de consumidores. Confira um deles abaixo.

Impossibilidade de levar o produto imediatamente

O conceito do guide shop é para o consumidor experimentar o produto no espaço e recebê-lo em casa. Dito isso, pode ser um problema para quem deseja levar o item no mesmo instante, já que a marca não possui estoque.

 

O guide shop é uma ótima opção para quem quer se destacar e até aumentar a autoridade da sua marca no mercado. Se esse tipo de loja estiver nos seus planos, garanta o seu sucesso com as soluções que a Green Retail Solutions pode oferecer! Somos um fornecedor homologado das maiores redes do país, contribuindo ativamente com a evolução do varejo!

Entre em contato com os nossos consultores e solicite uma proposta personalizada para o seu negócio.

Entendendo o fenômeno O2O, ou Online-to-Offline.

Postado por agenciacanna em 02/dez/2021 - Sem Comentários

Momentos turbulentos costumam gerar (ou até mesmo acelerar) grandes oportunidades e o fenômeno do O2O, Online-to-Offline, para o pós-pandemia é um exemplo disso. A verdade é que mesmo antes do Coronavírus, os varejistas já estavam preocupados em tornar a sua operação omnichannel, ou seja, integrar os seus canais de venda para oferecer uma experiência única para o seu cliente, independente de onde ele esteja, mas agora, novas necessidades estão surgindo. 

 Essa tendência já se tornou uma realidade na China e promete se popularizar no Brasil nos próximos anos, e por isso, se você é um empreendedor e deseja ficar à frente da concorrência, é importante conhecer esse conceito. E para colocá-lo em prática, existem várias soluções tecnológicas que estão traduzindo a nova era do varejo digital (e você vai conhecer algumas delas aqui com a gente). 

Com o aumento das vendas online muitas pessoas começaram a acreditar que o varejo físico poderia deixar de existir, mas na prática, estamos vendo o oposto disso. Segundo dados do Indicador de Atividade do Comércio (IAC) do Serasa, o primeiro semestre de 2021 apresentou um crescimento de 10,1% nas vendas do varejo físico brasileiro, o que resultou na maior alta semestral desde 2010. Isso mostra que o varejo físico está mais vivo do que nunca, e à medida que o nosso “antigo normal” está voltando, a tendência é crescer ainda mais. 

Algumas gigantes do mercado mundial já começaram a se movimentar quanto a isso, como o Google, que lançou sua primeira loja física este ano e a Amazon, que é uma das maiores empresas do varejo eletrônico e está com planos de abrir centenas de supermercados físicos. Além disso, temos a Meta, um universo altamente tecnológico e digital, mas que também tem planos de abrir lojas físicas no futuro – segundo rumores. 

Mas afinal, o que é O2O?

O O2O (Online-to-Offline) é considerado por muitos como uma evolução do Omnichannel, onde as operações além de integradas, e com uma experiência única, seja qual for o canal de venda, também está totalmente focada em oferecer o melhor dos dois mundos para garantir uma boa experiência de compra para o consumidor. 

Não há como negar que existem vários aspectos que influenciam tanto na compra online como offline. No online, existe a praticidade de conseguir consumir o produto com rapidez e receber a compra do conforto de casa, por outro lado, no offline, o cliente pode vivenciar a experiência da loja, tocar o produto, muitas vezes prová-lo e ter um contato com os vendedores. 

A proposta do O2O é justamente unir os pontos fortes de ambos. Mas como isso acontece?

Vamos dar um exemplo simples: você comprar um produto na loja online, mas, se por alguma razão ele não for o que você esperava, pode ir até a loja física trocar diretamente. Ou até mesmo, comprar na loja online e no mesmo dia ou no dia seguinte, retirar na franquia mais próxima. 

Tudo isso colabora para uma jornada mais humanizada, atrativa e rica para o seu consumidor. 

Como trabalhar a experiência do varejo físico?

Um ponto de atenção para quem deseja trabalhar a estratégia O2O na loja é a de não esquecer de investir no varejo físico. O erro de muitos empresários atualmente é destinar 100% da verba no digital, e esquecem de tornar a loja mais acolhedora e atrativa para seus clientes. 

Existem várias formas de garantir uma boa experiência: a partir de um layout de loja que deixa o espaço mais fluido, a escolha de cores para o ambiente que remetam a sua marca e também despertam boas sensações no visitante, bem como a distribuição de produtos nas prateleiras e gôndolas. Até mesmo o cheiro pode ser algo inovador! Existem vários estudos que comprovam que o aroma pode despertar o desejo de compra no cliente. 

O importante é tomar as decisões pensando no público que se deseja atingir e quais serão as propostas para atraí-lo. Nesse contexto, a Green pode te ajudar! Especialista em criar experiências bem sucedidas e memoráveis no varejo físico, a Green oferece diversas soluções que vão desde o projeto da sua loja até equipamentos que contribuem com a melhor exposição dos produtos e, consequentemente, maior resultado em vendas e satisfação do cliente. Saiba mais clicando aqui para solicitar um orçamento agora mesmo!

O crescimento do BOPIs (CLIQUE E RETIRE) no Brasil

Postado por agenciacanna em 25/nov/2021 - Sem Comentários

Talvez o nome “BOPIs” seja algo novo e diferente para você, mas na prática, essa já é uma estratégia que vários lojistas estão aderindo. A sigla significa “Buy Online, Pick Up In Store”, no português, “compre online, retire na loja física”. Ou seja, trata-se de oferecer para o seu cliente uma maior flexibilização em relação ao processo da compra e ao mesmo tempo mais agilidade para a retirada do produto. 

Podemos ver essa estratégia como um verdadeiro exemplo eficiente do varejo omnichannel, em que as operações são integradas e complementares tanto no online como também no físico, unindo o que há de melhor entre os dois formatos.

Para colocar isso em prática é necessário criar uma operação focada na experiência do cliente, independente do canal de venda. Na verdade, essa é a premissa básica do omnichannel, que cada vez mais vem evoluindo no Brasil. 

No primeiro trimestre de 2021, o varejo digital cresceu 72,2% e faturou R$ 35,2 bilhões, de acordo com a consultoria que monitora o varejo digital, Neotrust. A razão principal para isso, destacou a consultoria, foi o crescimento das compras no varejo durante o período e o tíquete médio mais alto dos produtos adquiridos. Quem avalia esses números pode pensar que o varejo físico pode estar chegando ao fim, mas a realidade é outra, e mais do que nunca essas duas oportunidades estão sendo integradas. 

O varejo físico, segundo dados do Serasa, também apresentou aumento, o que mostra que ele está mais vivo do que nunca, e saber como tirar o máximo proveito é fundamental. A Green Retail oferece tecnologias para modernizar e deixar o seu varejo físico mais inteligente. Vamos te mostrar como isso é possível!

O que é BOPIs?

O BOPIs – Buy Online, Pick Up In Store – é uma excelente ferramenta para aperfeiçoar a estratégia omnichannel no seu negócio. Trata-se de uma verdadeira inovação no mercado, especialmente para o pós-pandemia e vamos te explicar o porquê:

Com a pandemia, 10 milhões de brasileiros compraram pela primeira vez na internet, segundo levantamento realizado pela Nuvemshop. Somado isso, ao desejo das pessoas de voltarem suas vidas normais, habitarem os espaços e visitarem suas lojas favoritas, podemos ver o BOPIs como uma forte tendência. 

Essa estratégia surge como uma forma de agilizar o processo de entrega dos produtos para o consumidor e resolver um problema que era constante no varejo online: o de abandono dos carrinhos. Um levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) mostrou que cerca de 80% das pessoas abandonam os carrinhos após verem o prazo de entrega de seus produtos. 

Vantagens do BOPIs

Imagine poder você mesmo comprar online e retirar diretamente do PDV de uma loja, tendo a chance de ter o seu produto em mãos no menor prazo possível? Com certeza uma revolução. 

O mesmo em datas comemorativas. Imagine poder comprar um presente e retirá-lo no mesmo dia ou no dia seguinte? É uma grande satisfação para o consumidor. 

E para a experiência da loja física acaba sendo bastante vantajoso também. Isso porque para muitos clientes existia aquele risco de “frustração” em ver um produto no online, ir na loja física comprar e não encontrar. Com o BOPIs, o consumidor garante o produto e ainda pode buscá-lo no local mais perto (no caso das grandes franquias). 

Como garantir uma estratégia BOPIs de sucesso?

Para criar uma estratégia omnichannel, seja ela qual for, é necessário investir de maneira equilibrada tanto na loja física como no online. Muitos empresários acabam deixando de lado os investimentos de um em detrimento do outro, e esse talvez seja um dos maiores erros. 

A proposta aqui é justamente conseguir uma experiência única para atrair e reter o consumidor. No caso do varejo físico, quando se trata do BOPIs, é fundamental investir em produtividade. Isso vai desde um atendimento mais experiente e ágil, até mesmo um melhor layout e até equipamentos que apoiem na retirada dos produtos comprados online, bem como placas sinalizadoras que ajudem o consumidor a se localizar. 

A boa notícia é que algumas lojas e shoppings centers já estão se adequando. Em alguns locais, já existe a tecnologia “Click and Collect” que está virando um sucesso no Brasil e no mundo. Trata-se de espaços que permitem que o usuário retire o produto comprado. 

O mesmo acontece em shoppings centers que estão cada vez mais implementando áreas comuns e boxes de retiradas para que o cliente retire o produto rapidamente e não precise pagar estacionamento. Tudo isso integra essa facilidade de buscar a compra, gastando pouco e tendo em mãos rapidamente a compra. 

Modernizar tanto o espaço físico como também oferecer a funcionalidade no online é fundamental, e para isso, você precisa adotar tecnologias para tornar o seu varejo mais inteligente. Para isso, você pode contar com a Green, que oferece as melhores soluções e projetos que prometem transformar a sua loja para estar preparada para as principais tendências. Solicite agora mesmo uma proposta personalizada!